Por que abordamos o sexo de maneiras diferentes: Relacionamento sexual.

Por que abordamos o sexo de maneiras diferentesPor que abordamos o sexo de maneiras diferentes – A sexualidade é considerada uma parte importante nossas personalidades. É moldada por nossas imagem corporal, nosso círculo social e nossa criação. Aspectos como o que deve nos excitar e o que constitui comportamento sexual são aprendidos.

Eles são um produto do ambiente em que vivemos e das lições que aprendemos. Para aprender como e por que os homens e as mulheres abordam o sexo de maneiras diferentes precisamos observar essa combinação de biologia e ambiente.

Os homens e as mulheres aprendem muito sobre relacionamento na infância e na adolescência. É em nossa infância, em casa, que começamos a aprender o que significa ser um menino ou um menino, como funcionam os relacionamentos adultos e como o nosso gênero determina onde nos encaixamos em tudo isso.

Na verdade, os pais influenciam mais as crenças, as opiniões e as atitudes sexuais do que os colegas, a escola ou a mídia. Por exemplo, pessoas cujos pais transmitiram mensagens não saudáveis sobre o sexo (isto e, a crença de que o sexo é pecado ou sujeira) têm uma probabilidade maior de se sentirem culpadas até mesmo de conversar sobre sexo.

Rapazes que cresceram em uma família em que o pai era sensível atento ás necessidade e desejo da mãe, sexual e não sexualmente têm uma probabilidade maior de virem a ter relacionamento sexuais igualmente felizes e saudáveis com mulheres.

Os valores e crença desenvolvidos nos anos da adolescência sobre o sexo oposto mudam muito pouco na idade adulta. Assim, as pessoas entram nos relacionamentos sexuais com algumas concepções equivocadas sobre a sexualidade e o papel do sexo.

Apesar de deixar sua postura da adolescência, muitos homens adultos encaram o sexo como um ato e temem os vínculos que se originam dele. Eles podem fechar seus sentimentos, temendo que os tornem menos homens.

E, sem dúvida desapontadas por alguns primeiros encontros desastrados, as mulheres acham que a única parte da intimidade que importa para os homens é a relação sexual. Alguns casais nunca superam essas concepções equivocadas.

A sociedade também dita que, sexualmente, as mulheres sejam mais ingênuas e os homens mais diretos e assertivo. Espera-se que os homens comuniquem muito mais livremente suas necessidade e desejos sexuais.

quaisquer desvios dessas ‘’normas’’ têm consequências diferentes para os homens  e para as mulheres. Por exemplo, os homens que não são sexualmente agressivos ou parecem afeminados muitas vezes são alvos de zombaria.

Já as mulheres que têm uma abordagem ‘’masculina’’ do sexo estão aberta a ideia do sexo casual  ou têm  muitos  parceiros se colocam na linha de fogo para rótulos de ‘’fácil’’. Por isso, ao homens é permitida uma liberdade sexual muito maior quando trata de quantidade.

As mulheres estão  bem mais concentradas na qualidade, associando a intimidade física com proximidade emocional compromisso, em grande parte  devido a influência da sociedade.

Para as mulheres, a política de quando ela deve fazer sexo com um homem, o que ele e o resto da sociedade vão pensar dela se ela lhe der essa abertura e como isso afetará  seu relacionamento futuro envolve o movimento de um relacionamento platônico para um relacionamento sexual, e este é com frequência  repleto de preocupação uma atitude muito mais relaxada e tenham a capacidade para enxergá-lo apenas como um pequeno hobby muito prazeroso pois são muitos diferentes as expectivas sociais com quais terão de lidar.

Por que abordamos o sexo de maneiras diferentes

Por que abordamos o sexo de maneiras diferentesPara onde vamos agora?

Por mais exigente que seja o sexo e por mais que melhore o relacionamento, ele pode proporcionar todo um novo conjunto de quebras de comunicação.

A discussão sexual é ainda encarada como um tabu, mas a comunicação é realmente a única maneira de esclarecer essas concepções equivocadas. Como abordamos os encontros sexuais com o conjunto de ansiedades próprio do nosso gênero, nós nos concentramos nas coisas erradas.

Então, enquanto você está em pânico sobre a posição papai-mamãe vai deixar seu seios com uma forma estranha, ele está preocupado se está realmente fazendo a coisa certa. Ele está obcecado com o tamanho do seu pênis, você está se atormentando pensando se deve ser tímida e submissa ou se pendurar no lustre. Mais uma vez, tendemos a escutar incorretamente, como resultado de nossas próprias crença internas.

Quando ele pergunta: “Foi bom pra você?” você gostou?’’, você pode interpretar como: “ Você poderia ter ficado um pouquinho animada. Eu quase dormir no meio do caminho’’. Como a maioria das dificuldades dos relacionamentos, quando nos defrontamos com uma barreira de comunicação , pode haver uma série de consequências negativas.

Por exemplo , se uma mulher acha que o seu parceiro encara o sexo como uma perda de tempo a menos que ela tenha um orgasmo, ela pode terminar fingindo uma reação ou evitando totalmente os encontros físicos para não ‘’ deixa-lo deprimido ‘’.

A não comunicação das suas necessidade sexuais para o seu parceiro pode provocar frustração, raiva e finalmente ressentimento  e um esquentamento total do relacionamento sexual. Assim como compartilhar as necessidades emocionais é fundamental  para um relacionamento saudável e bem-sucedido, expressar as necessidades sexuais é importante para a longevidade dele.

Mas, antes mesmo de chegarmos ao estagio de expressar nossas necessidades sexuais, temos que nos livrar das pressões sociais e das experiências passadas  que influenciam nossas expectativas em torno do sexo.

Mesmo antes de um casal ir para a cama, cada um deles foi exposto a uma vida de pressão social, e muito provavelmente a uma série de experiências sexuais. E isso vai afetar o modo como encaramos o sexo:

o que esperamos dele, o que gostamos ou se, de fato, nos sentimos a vontade, e questões práticas, tais como quanto tempo esperamos antes de dormir com um novo parceiro.

Por exemplo, a sociedade sugere e reforça a teoria de que os homens encaram o sexo como bem mais importante para o seu bem-estar geral do que as mulheres.

Do mesmo modo, as mulheres são muito mais preocupadas sobre quando elevar a atração para a intimidade física, e o resultado é que, frequentemente, elas estão entrando em acordo com o relógio da sociedade e evitando seu próprio relógio corporal.

Fala sobre a tensão sexual não expressada vai aliviá-la e tirar a pressão de cima dos dois. Evite ler a mente e tentar adivinhar se o seu parceiro só está atrás de sexo, está resistindo ao sexo ou simplesmente não está interessado em você Adquirir um entendimento mais claro do ponto de vista do outro, com certeza, vai esclarecer quaisquer concepções equivocadas no próprio pensamento.

Quando nos certificamos de que entendemos o que o sexo oposto quer dizer, conseguimos mudar o nosso comportamento e, em consequência, evitar equívocos. Quanto mais próximo o relacionamento, mais felizes ficamos em falar sobre nossas necessidades e desejos sexuais, mas queremos que ele seja um processo de feedback.

Muitos homens estão dispostos a conversar sobre o “é bom” para eles ou, mais importante, para sua parceira, mas são temerosos de abalar o mito do amante magnífico, intuitivo.

Entretanto, conversar sobre sexo com seu parceiro é a única maneira sólida de revelar os desejos, as preferências, os medos e os padrões sexuais. Compartilhar essa informação promove não apenas a intimidade, mas também a satisfação.

Por que abordamos o sexo de maneiras diferentes.

Vamos observar o exemplo que se segue.

Por que abordamos o sexo de maneiras diferentes

Kevin e Myra estão saindo há um mês, para tomar vinho, jantar e desfrutar da companhia um do outro. Seu primeiro encontro sexual foi bom, mas, com certeza deixou espaço para melhoras. Kevin adora a ideia de Myra lhe fazer sexo oral e Myra adora a ideia de Kevin ser verbalmente expressivo enquanto faz amor.

Em vez de comunicarem suas necessidades e conversarem sobre elas, cada parceiro fica confinado ao seu território ‘’seguro’’, só sutilmente sugerindo o que realmente querem, o que não  satisfaz nenhum dos dois.

Kevin: você gostou?

Myra: É claro que sim.

Kevin queria dizer: Eu sinto algo não vai muito bem aqui. Será que sou eu?

Myra queria dizer: Eu gosto de fazer sexo com você, mais queria que você fosse menos obcecado com sexo oral!

Kevin escutou: Foi horrível!

Myra escutou: Eu só me importo comigo.

Em vez de discutirem abertamente seu encontro sexual, eles preferiram se retrair com medo de ferir os sentimentos um do outro.

Seu comportamento era muito influenciado por seus próprios entendimentos. As várias suposições feitas estavam todas erradas.

Se eles as checassem, iriam descobrir que suas interpretações eram baseadas sobretudo em suas expectativas, medos e estados internos.

Filtrando tudo o que é dito com sua interpretação distorcida, eles estabelecem um ciclo de confusão que significa que duas coisas podem acontecer.

Em primeiro lugar, as chances de Myra gostar de sexo oral como Kevin quer que ela goste são muito pequenas, assim como as chances de Kevin se comunicar com Myra da maneira que ela gosta durante o sexo.

Em segundo lugar, esse casal está destinado a perder o vínculo forte e intimo que pode  se desenvolver através de uma comunicação sexual aberta e honesta.

Talvez uma mulher assuma que seu novo amante odeia sexo oral porque ele nunca o inicia.

Todas as vezes que eles ficam íntimos e ele não toma essa iniciativa, ela interpreta como uma confirmação de suas suspeitas.

Enquanto isso, talvez seu parceiro tenha desenvolvido a teoria de que é ela que detesta a ideia, porque nunca a sugere, e ele está temeroso de tentar algo de que ela não goste.

Que confusão! A única maneira de resolver isso é desafiarem essa suposições através de comunicação verbal ou não verbal.

Os grandes amantes tornam-se grandes porque estão dispostos a se comunicar a vontade com seu parceiro. Mas levantar o assunto pode ser complicado. O sexo é divertido, excitante e estimulante.

Mas também pode ser uma questão bem constrangedora, especialmente quando se trata de escrever sua lista de desejos sexuais para seu parceiro ou esclarecê-lo sobre aquela coisa esquisita de chupar seu dedão do pé, que ele acha que você adora, mas que, na verdade, deixa sua pele arrepiada.

Tudo isso soa complicado e confuso. Mas há maneiras simples de iniciar uma discussão sexual produtiva com seu parceiro.

Sente-se confortavelmente com seu parceiro.

Imediatamente de pois do sexo não é o momento ideal, pois tudo o qualquer um disser vai soar aumentado e pode ser mal interpretado . uma conversa acompanhada de uma taça de vinho fará maravilhas para relaxar o humor.

Eleve seus pensamentos.

Estruture suas palavras sob uma luz positiva. Se você tem uma queixa, evite que ela soe como uma crítica negativa. Em vez de dizer: ‘’ Eu detesto o jeito como você se concentra só nos meus mamilos durante as preliminares ‘’,tente dizer.’’ Adoro o jeito como você exista todo o meu corpo durante as preliminares. Não precisa ficar só nos meus mamilos. Beijar a minha barriga também me deixa superexcitada’’.

Seja clara.

Se mordiscara orelha não é do seu, diga

Não seja defensiva.

Se ele lhe disser que não gosta quando você arranha suas costas com as unhas, não tome isso como um insulto nem replique dizendo que seu ultimo namorado adorava. Cada pessoa é diferente ele está sentindo. Além disso, é bem possível que seu ultimo namorado também detestasse isso, mas também confessa-lo a você.

É interessante notar que a capacidade para comunicar as necessidades e os sentimentos durante a atividade sexual ajuda a comunicação também em áreas não sexuais, solidificando o relacionamento como um todo.

Quando você adquirir o hábito de ser honesta sobre o que gosta de fazer na cama, provavelmente vai achar mais fácil comunicar outros desejos a seu parceiro.

Vamos ser honestas pedir-lhe que evite fumar em seu carro vai ser “fichinha” comparado com lhe dizer que você gosta de apanhar. Reserve um tempo para desafiar suas cognições. Por que você se sente dessa maneira? Até que ponto isso é realista?

Há alguma evidência que sugira que isso possa ser errado? Se você desafiar essa teoria e lutar contra ela, qual a pior que pode acontecer?

E seja clara com seu parceiro. Aceite que ele também tem seu próprio conjunto de preconceitos sexuais e que isso vai afetar a maneira como ele interpreta suas reações na cama. Ele também vai interpretá-la através de uma cortina de fumaça de esquemas; por isso, comunique -se com clareza e sem se envergonhar.

Se você estivesse em uma reunião de negócios e não tivesse certeza do que seu cliente estava lhe perguntando, daria um jeito de esclarecer as coisas imediatamente. Se você fosse ao cabeleireiro, gostaria de ter certeza de que o profissional sabe exatamente o que você quer antes de começar a adicionar a tesoura.

Exerça a mesma clareza de comunicação em sua vida pessoal, sobretudo quando se trata do seu relacionamento sexual.  E abrace o fato de que, se você e seu parceiro ás vezes parassem estar falando línguas diferentes, pelo menos essa é a única área do seu relacionamento em que ambos podem deixar que uma pequena comunicação não verbal assuma a palavra.

estou muito curiosa! Me mostre agora como apimentar a relação sexual com o meu parceiro e ir muito além do sexo convencional.

 

Por que abordamos o sexo de maneiras diferentes: Relacionamento sexual.
5 (100%) 1 vote[s]

Você Quer Ser Um Homem Mais Sedutor e Atraente Para as Mulheres em Tempo Recorde?

Faça como 28.198 Homens Inteligentes, e Baixe o Seu E-Book Agora Mesmo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *